segunda-feira, 22 de agosto de 2011

Os Kartalas

OS KARTALAS

Kartalas, kartals ou karatalas (literalmente “kara” - mão, “tal” - sino).

Ao longo da história do kirtana, os dois instrumentos fundamentais que representaram o ritmo foram a mrdanga e os kartalas.
Kartala é um par de pratos de mão (também conhecido como Címbalos de mão). A maioria dos kartalas são feitos de dois pratos de bronze (ou em alguns casos raros, prata) que estão relacionados com algum tipo de tecido ou de corda.
Eles são a espinha dorsal de um kirtan ou bhajan. Para acompanhar adequadamente em bhajans e kirtans, é importante saber usar o ritmo e como tocá-lo sem parecer fora de controle.


PRINCIPAIS TOQUES

Existem vários toques e inumeráveis variações que podem ser executadas com os kartalas. Para nosso estudo didático vamos analisar 3 toques principais:

1. Toque Simples – ou de Três Batidas ( X X O p )
É o ritmo mais comum utilizado em bhajans e kirtans. Contém 3 batidas:

2. Toque Dobrado ( X X O - X X O )
É o Toque Simples executado de forma dobrada. Este toque deve acompanhar a Mrdanga quando esta também dobrar a batida. Também pode ser usado como variação.

3. Toque de Dois ( X p O )
Esse ritmo é um pouco mais complexo que o Simples, pois exige uma pausa entre as suas Duas Batidas. Fique atento pois pode-se mudar de Dois Toques para Três.

Legendas:

X – Batida fechada, batendo um kartala contra o outro, prendendo o som com os dedos
O – Batida aberta, batendo um kartala contra o outro, deixando ecoar o som.
p – Pausa;



ETIQUETA DE ACOMPANHAMENTO

Os kartalas só podem servir como acompanhamento. Apesar de tais limitações, os kartalas podem ser um dos instrumentos mais importantes. Para ser um eficaz e eficiente tocador, algumas regras de etiqueta comportamental devem ser observadas.

1. Você está apenas acompanhando um cantor, músico ou artista

Quando você toca os kartalas para alguém, você deve se lembrar que está lá para ajudar o cantor ou o artista principal. Em alguns casos, você pode estar tocando com um músico muito talentoso, porque os devotos têm grande experiência em kirtanas e bhajans.
Você deve tocar de forma que o artista principal não desapareça, não deve tocar de uma forma contrária às necessidades dos kirtan. Você está lá para ajudar o artista, e não para ajudar a promover o seu talento.
Os kartalas não podem sobreviver sozinhos, musicalmente. Entretanto, apenas porque mridangas, harmônio, e outros instrumentos estão tocando não dá para tentar um “solo de kartalas”. Intente para os toques e variações que você acha que vai ajudar positivamente o artista.
Respeite o tempo sozinho. Se o cantor ou artista principal quer acelerar, eles vão te dar uma dica sutil, como, por exemplo, um olhar constante em você, ou comece a bombear o harmônio mais alto ou mais rápido.

2. Predizer o tempo que está sendo tocado

Você pode querer ouvir a melodia e o tempo antes de decidir qual conjunto de ciclos rítmicos que você precisa (se são três batidas, duas, etc.). Contar as batidas mentalmente antes de tocar ajuda. Às vezes, batendo palmas na canção pode ajudar a saber onde as batidas se encaixam.

3. Ao tocar, o foco deve ser somente o tempo e o líder do bhajan

É muito fácil para os novos praticantes perderem uma batida, por várias razões. Se você acha que pode ter perdido o ritmo, deve parar de tocar, olhar para o líder e encontrar o ponto onde você pode pegar e tocar na hora certa. Se você estiver realmente perdido em qualquer parte do ciclo de tempos, você deve voltar a tocar tentando pegar em um ponto onde você pode começar no primeiro tempo do ciclo dos Kartalas.
Se o artista principal pede-lhe para acompanhar um ritmo que não está 100% confortável ou se você não sabe como tocar isso nos kartalas, humildemente, deve notificar o artista que você é incapaz de tocar isso.

4. O exagero nunca é bom

Quando as pessoas tocam kartalas pela primeira vez, eles tendem a ficar muito animados, tendendo a tocar os kartalas muito alto, a ponto de estar incomodando todo mundo. Portanto, não devemos tocar muito alto e com força. Mesmo em ritmo rápido, tocar suavemente ajudará o canto e o tocador de Mrdanga a levar um ritmo muito bom.


5. Whompers NÃO são kartalas!

Para aqueles que não estão familiarizados com whompers, eles são a versão grande do kartala. Eles são realmente conhecidos como jhanjh garba. O diâmetro dos kartalas varia de 3 a 4 polegadas, Mas os whompers podem ter o diâmetro de seis ou sete centímetros de comprimento. Portanto, eles têm uma menor frequência de som muito menor em comparação com os kartalas. Ultimamente, whompers estão na moda, devido à sua baixa altura e som alto. Whompers não devem ser usados no Bhajan, sendo melhor utilizados em alguns kirtans e Harinamas.
Isso tem um preço, no entanto. As pessoas utilizam este instrumento como se fossem kartalas, e como resultado, há um som estridente e muito alto. Além disso, ele pode atrapalhar kirtans e atingir ou exceder os níveis de audiência seguro, o que vai resultar em devotos parcialmente surdo mais tarde na vida, ou devotos usando tampões.
Se o templo não tem regras para uso de instrumentos, por favor, tenha em mente que whompers não são kartalas! Os whompers devem ser usados somente para marcar o tempo.

6. Use o bom senso

Na maioria das vezes, um líder de kirtan não irá coordenar, com antecedência quem vai tocar kartalas, harmônio e mridanga e em que tempo. Se o líder do kirtan quer acelerar, deve acelerar gradualmente. Não acelere bruscamente. O mesmo deve ser usado quando retardar o ritmo! Da mesma forma, não use uma velocidade mais rápida nos kartalas para induzir o líder do kirtan a ir mais rápido.
Também é parte da etiqueta Vaishnava oferecer os kartalas (e outros instrumentos) na hora do bhajan ou kirtan, a devotos mais antigos, mais velhos ou naturalmente mais habilidosos em respeito a dedicação destes devotos. Isto não significa que os iniciantes não podem tocar quando devotos mais experientes estão presentes. Apenas use o bom senso.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget

Follow by Email